Você sabe o que é capital de giro?

Para começar uma empresa é fundamental ter em mente qual será o capital necessário para manter o negócio funcionando nos primeiros meses.

A falta de capital de giro é um dos grandes motivos pelos quais novas empresas acabam fechando as portas e encerrando as atividades.

Em termos conceituais, capital de giro é o dinheiro necessário para gerir um negócio enquanto não há entrada suficiente de capital.

Imagine, por exemplo, uma empresa que está começando no mercado.

O dinheiro obtido não é suficiente para pagar os funcionários, comprar mercadorias e amortizar o investimento que foi realizado.

Em muitos segmentos, o prazo de retorno sobre o investimento é de vários meses.

Nesse intervalo o empreendedor deve ter uma graninha extra para garantir que o negócio sobreviva até o dinheiro começar a entrar.

O seu capital de giro pode matar a sua empresa: saiba como!

Se a inexistência desse capital pode matar sua empresa, a má gestão desse dinheirinho extra também!

Afinal de contas, não é interessante que a empresa utilize o capital de giro de forma infinita.

Em algum momento o negócio deve começar a apresentar lucro e esse capital precisa ficar de lado.

Mas o que fazer para que o capital de giro seja necessário pelo menor tempo preciso?

Quais estratégias devem ser implementadas pelos gestores e empresários?

Saiba negociar

A negociação é o segredo.

Seja qual for o segmento de atuação, é preciso correr atrás de fornecedores que ofereçam o melhor custo-benefício.

Pagar menos pelas mercadorias é fazer economia. E quem economiza alcança melhores resultados no mercado.

O poder de negociação de um empreendedor define a sua permanência no mercado.

Lembre-se de que o capital de giro não é infinito – e quanto mais utilizamos desse montante, menos dinheiro fica com o empresário.

Além disso, cabe ao empreendedor saber exatamente quando e onde gastar.

Todos os custos devem ser colocados no papel, de forma prévia. O planejamento deve ser global e detalhado.

Outra coisa, é preciso saber investir. Por exemplo, no começo, os investimentos devem ser poucos e apenas os necessários.

Compras grandes e jogadas mais arriscadas devem ser feitas em momento futuro, quando o caixa da empresa apresentar saldo positivo.

Organize seu estoque e finanças

Um dos setores da empresa que mais consomem dinheiro é o estoque.

Seja lá qual for o seu produto, é fundamental manter um controle preciso das entradas e saídas.

Por sorte, atualmente existem sistemas que permitem controlar automaticamente todos os produtos recebidos no estoque.

Os códigos de barras tornam a inspeção menos burocrática e mais rápida.

Mas o controle não se restringe ao estoque. É preciso ficar de olho nas finanças, no que está entrando e saindo da empresa.

O ideal é que o quanto antes o valor recebido seja menor do que o valor gasto pelo empreendimento.

Uma balança empresarial positiva é o que garante o pagamento de todas as despesas, além de permitir ao empreendedor continuar investindo e expandindo os negócios.

Alinhe o bônus

Um dos erros dos gestores é não incluir o bônus dos funcionários ao capital de giro.

A grande verdade é que todos os custos devem ser inseridos no montante final, de forma que não existam surpresas no futuro.

O capital de giro é a verba necessária para fazer o negócio funcionar no período em que ele não consegue se manter pelas suas próprias forças.

E o bônus de desempenho é uma despesa que pode estar presente durante os primeiros meses.

Agora que você já sabe o que é e como funciona o capital de giro, está na hora de analisar esse aspecto do investimento.

Ebook Controle financeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *